segunda-feira, 4 de junho de 2012

Um dia ela pensou que a sua vida iria mudar 180º, como no dia em que o seu papá morreu prematuramente sem sequer a ter deixado despedir-se convenientemente. Achou que ia ter amigos diferentes, uma casa nova, um outro idioma mais açucarado, a vida que sempre desejou. Seria tudo uma escalada, e depois, no cume, sentiria aquela felicidade desigual e ao mesmo tempo o sentimento de dever cumprido, o não haver mais nada para fazer.
Ela tinha chegado ao fundo do poço quando decidiu mudar de cidade, ela não tinha a atenção que achava que merecia, para ela tudo estava errado, ela vivia na corda bamba.

3 comentários:

  1. Espero que a primeira parte se tenha seguido ao final da tua estória.
    Gosto sempre de passar aqui.*

    ResponderEliminar
  2. Hi
    Entertaining and valuable writing this is. Essays like this are so important to broadening people's horizons

    ResponderEliminar